Caminhos



Por que deixaste-me ir?
Deveria brigar e chorar,
deveria debilmente ignorar,
e por fim me impedir.

Fui, é fato.
Quem veio foi a tristeza,
quem passou foi o tempo,
quem sucumbiu foi o coração.

O desafio brotou.
Volte.
Plante uma árvore,
escreva um livro,
tenha dois filhos,
Fique comigo.

Voltei.
O mal se quebrou,
germinou a árvore,
senti o perfume de suas flores,
o sabor suculento de seus macios frutos.
As palavras, à pena, foram lançadas em brancas folhas,
em alguns cantos pequenas figuras remetem a idéias que completam as palavras.

Os filhos nos dão vida,
mais virão.
O futuro com anseio fitei,
as lidas da vida garantem:
voltei.

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Texto Livre. ligação permanente.

Uma resposta a Caminhos

  1. Alessandra diz:

    chorei.

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s