Gastar o Tempo


Gosto de gastar o tempo, sinto falta de poder fazer isso com freqüência.

Parece não valer aquela conversa com o amigo em um hora de almoço improvisada, ligeira. Ouvir uma música sem perceber bem os acordes, os detalhes, não satisfaz. Ver um pôr-de-sol como uma cena em flash de um comercial de TV não enche a alma. Ler poucas páginas de um livro por dia, naquele momento final antes de adormecer, em estado já quase letárgico, não tem a menor graça.

Quero diferente, quero mais. Preciso.

Quero gastar meu tempo precioso com os amigos. Poder ficar, curtir a companhia, deixar a conversa fluir sem a menor intenção de interromper. Rir à vontade, contar histórias descompromissadamente.

Quero sentar à sala, ligar o som e ouvir todos os acordes, os detalhes de percussão, ouvir, diferenciar a sensação de graves e agudos. Sentir a diferença a voz em meio aos instrumentos, perceber a alegria dos sons.

Quero o arrebol de cores do pôr-de-sol. O laranja avermelhado emoldurado pelo verde que escurece. O vento que sobre o morro em carreira batendo no rosto. O mato pinicando os pés descalços.

Quero entregar-me à leitura, sem saber quando comecei, lembrando de fazer pausar apenas quando sentir sede ou fome. Quero entrar na história, ver os personagens, sentir frio ou calor, alegrar-me ou chorar.

Preciso de tempo, de tempo bom, que me traga vida, que me alimente. Quero cuidar melhor de meus amigos, cuidar mais de mim. Preciso.

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Texto Livre. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s