Anjo Vivo


Dias frios sem aquele coraçãozinho quente. Difícil viver a distância, pior viver o tempo da distância. Tempo implacável, quase oito anos.

E aquele coraçãozinho vai crescendo, demonstrando ser, desde já, tão grande! Nobre, bom, plácido, cheio de compaixão. Um ser de amor em meio a tanta guerra. Um ser de paz em meio a tanta discórdia, tanto rancor.

Sinto uma dor tão profunda!, mas que ao mesmo tempo some com a presença daquele sorriso, com aquele abraço tão achegado ou com aquele beijinho tão cheio de amor.

Como deixar?

Dói mais, muito mais, ver a angústia em seus olhos, a opressão em suas palavras, a tensão em seu coração. O medo em sua vida.

Uma criança de coração tão grande não merece passar um quinhão disso, por nada disso. E eu me sinto responsável por permitir, se é que é esta a palavra, que se infrinja a ele todo esse sofrimento.

Peço a Deus que nos proteja.

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Texto Livre. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s