Tanto Olho ao Redor


Tanto olho ao redor

que jamais poderia vislumbrar,

não sob aquele olhar,

um quinhão que fosse do que aquele melhor.

 

O Giramundo seria pois,

um vizinho ou um lugar?

Fosse um ou outro,

Gostaria de conhecê-los os dois.

 

Assim me perco na vida

buscando tudo e todos.

Uma saudade absurda que aperta

o peito sem vinda nem ida.

 

Ouvi em minha surdez

um forte e breve grito.

Daqueles que garganta alguma

conseguiria bradar qual fosse o rito.

E naquele sacro-santo momento fui assim

traído pela insensatez.

Mudez.

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Texto Livre com as etiquetas , , , , , , , . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s